sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Oração A Mim Mesmo

Que eu me permita olhar, escutar e sonhar mais.

Falar menos, chorar menos.

Ver nos olhos de quem me vê a admiração que eles me têm e não a inveja que prepotentemente penso que têm.

Escutar com meus ouvidos atentos e minha boca estática as palavras que se fazem gestos e os gestos que se fazem palavras.

Permitir sempre escutar aquilo que eu não tenho me permitido escutar. Saber realizar os sonhos que nascem em mim e por mim e comigo morrem por eu não os saber sonhos.

Então que eu possa viver os sonhos possíveis e impossíveis; aqueles que morrem e ressuscitam a cada novo tempo, a cada nova flor, a cada novo calor, a cada nova geada, a cada novo dia.

Que eu possa sonhar o ar, sonhar o mar, sonhar o amar, sonhar o amalgamar.

Que eu me permita o silêncio das formas, dos movimentos, do impossível, da imensidão de toda a profundeza.

Que eu possa substituir minhas palavras pelo toque, pelo sentir, pelo compreender, pelo segredo da coisas mais raras, pela oração mental (aquela que a alma cria e que só ela, alma, ouve e só ela, alma, responde).

Que eu saiba dimensionar o calor, experimentar a forma, vislumbrar as curvas, desenhar as retas, e aprender o saber da exuberância que se mostra nas pequenas manifestações da vida.

Que eu saiba reproduzir na alma a imagem que entra pelos meus olhos fazendo-me parte suprema da natureza, criando-me e recriando-me a cada instante.

Que eu possa chorar menos de tristeza e mais de contentamentos.

Que meu choro não seja em vão, que em vão não sejam minhas dúvidas.

Que eu saiba perder meus caminhos, mas saiba recuperar meus destinos com dignidade.

Que eu não tenha medo de nada, principalmente de mim mesmo:- Que eu não tenha medo dos meus medos!

Que eu adormeça toda vez que for derramar lágrimas inúteis, e desperte com o coração cheio de esperanças.

Que eu faça de mim um homem sereno dentro da minha própria turbulência, sábio dentro dos meus limites pequenos e inexatos, humilde diante das minhas grandezas tolas e ingênuas(que eu me mostre o quanto são pequenas as minhas grandezas e quanto é valiosa a minha pequenez).

Que eu me permita ser mãe, ser pai, e se preciso, ser órfão.

Permita-me ensinar o pouco que sei e aprender o muito que não sei, traduzir o que os mestres ensinaram, e compreender a alegria com que os simples traduzem suas experiências; respeitar incondicionalmente o ser; o ser por si só, por mais nada que possa ter além de sua essência, auxiliar a solidão de quem chegou, render-me ao motivo de quem partiu e aceitar a saudade de quem ficou.

Que eu possa amar e ser amado. Que eu possa amar mesmo sem ser amado; fazer gentilezas a quem me dá carinhos; fazer carinhos mesmo sem receber gentilezas.

Que eu jamais fique só, mesmo querendo ficar só.

Amém.

- Oswaldo Antonio Begiato -

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Remorso

O remorso crônico, e com isto todos os moralistas estão de acordo, é um sentimento bastante indesejável.

Se considerais ter agido mal, arrependei-vos, corrigi os vossos erros na medida do possível e tentai conduzir-vos melhor na próxima vez.

E não vos entregueis, sob nenhum pretexto, à meditação melancólica das vossas faltas. Rebolar no lodo não é, com certeza, a melhor maneira de alguém se lavar.

- HUXLEY, Aldous – “Brave New World

(Ilustração: BOUGUEREAU, William-Adolphe – “O remorso de Orestes”)

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Maria Bethânia - Fera Ferida

Acabei com tudo

Escapei com vida

Tive as roupas e os sonhos rasgados na minha saída

Mas saí ferido

Sufocando o meu gemido

Fui o alvo perfeito

Muitas vezes no peito atingido

Animal arisco

Domesticado esquece o risco

Me deixei enganar e até me levar por você

Eu sei quanta tristeza eu tive

Mas mesmo assim se vive

Morrendo aos poucos por amor

Eu sei

O coração perdoa

Mas não esquece à toa

O que eu não me esqueci

Eu andei demais

Não olhei pra trás

Era solta em meus passos

Bicho livre sem rumo sem laços

Me senti sozinha

Tropeçando em meu caminho

À procura de abrigo

Uma ajuda um lugar um amigo

Animal ferido

Por instinto decidido

Os meus passos desfiz

Tentativa infeliz de esquecer.

Eu sei que flores existiram

Mas que não resistiram à vendavais constantes

Eu sei

As cicatrizes falam

Mas as palavras calam

O que eu não me esqueci

Não vou mudar

Esse caso não tem solução

Sou fera ferida

No corpo na alma e no coração

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Roberta Campos & Nando Reis - De Janeiro A Janeiro

Não consigo olhar no fundo dos seus olhos

E enxergar as coisas que me deixam no ar, me deixam no ar

As várias fases, estações que me levam com o vento

E o pensamento bem devagar

Outra vez, eu tive que fugir

Eu tive que correr, pra não me entregar

As loucuras que me levam até você

Me fazem esquecer, que eu não posso chorar

Olhe bem no fundo dos meus olhos

E sinta a emoção que nascerá quando você me olhar

O universo conspira a nosso favor

A conseqüência do destino é o amor, pra sempre vou te amar

Mas talvez, você não entenda

Essa coisa de fazer o mundo acreditar

Que meu amor, não será passageiro

Te amarei de janeiro a janeiro

Até o mundo acabar

sábado, 30 de outubro de 2010

I Coríntios 13

1 Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.

2 E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.

3 E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.

4 O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.

5 Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;

6 Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;

7 Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

8 O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;

9 Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;

10 Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.

11 Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.

12 Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.

13 Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.

(Ilustração: Famke Janssen & Hugh Jackman as Jean Grey & Wolverine – “X-Men”’)

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Jota Quest - O Sol

Ei, dor!

Eu não te escuto mais...

Você não me leva a nada!

Ei, medo!

Eu não te escuto mais...

Você não me leva a nada!

E se quiser saber

Pra onde eu vou

Pra onde tenha Sol

É pra lá que eu vou...

(Ilustração: Savana nigeriana)

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Nosso grande medo não é o de que sejamos incapazes.

Nosso maior medo é que sejamos poderosos além da medida.

É nossa luz, não nossa escuridão, que mais nos amedronta.

Nos perguntamos:

"Quem sou eu para ser brilhante, atraente, talentoso e incrível?"

Na verdade, quem é você para não ser tudo isso?

Bancar o pequeno não ajuda o mundo.

Não há nada de brilhante em encolher-se

para que as outras pessoas não se sintam inseguras em torno de você.

E à medida que deixamos nossa própria luz brilhar,

inconscientemente damos às outras pessoas permissão para fazer o mesmo.

- Nelson Mandela –

(ILUSTRAÇÃO: Whoopy Goldberg as Celie - “The Color Purple”)

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Sorriso Maroto - Amanhã

Amanhã, eu não vou acreditar nem ouvir o que me disser

Amanhã, não me procure, nem ligue e seja o que Deus quiser

Amanhã, vai ser melhor do que hoje é. a vida pode escrever

Amanhã, vou me curar pro meu dia nascer melhor

Não, não chega perto que eu enfraqueço perco a razão

É, tô inseguro, devendo a juros pro coração

Desaparece, me esquece, não volte atrás

Eu não agüento uma gota a mais

E só abusa meu coração,

Já é vantagem viver solidão

Por que me procura pra me enlouquecer

Se estou feliz volta a me aparecer

E ninguém merece o mal que me faz

Volte amanhã, pra me ouvir te dizer nunca mais!

(Ilustração: Michelle Pfeiffer & Daniel Day-Lewis as Ellen Olenska & Newland Archer – “The Age Of The Innocence”)

domingo, 3 de outubro de 2010

Se Alguém Te Procurar...

... com frio, é porque você tem o cobertor.
... com alegria, é porque você tem os sorriso.
... com lágrimas, é porque você tem o lenço.
... com versos, é porque você tem a música.
... com dor, é porque você tem o curativo.
... com palavras, é porque você tem a audição.
... com fome, é porque você tem o alimento.
... com beijos, é porque você tem o mel.
... com dúvidas, é porque você tem o caminho.
... com orquestras, é porque você tem a festa.
... com desânimo, é porque você tem o estímulo.
... com fantasias, é porque você tem a realidade.
... com desespero, é porque você tem a serenidade.
... com entusiasmo, é porque você tem o brilho.
... com segredos, é porque você tem a cumplicidade.
... com tumulto, é porque você tem a calma.
... com confiança, é porque você tem a força.
... com medo, é porque você tem o amor.
Ninguém chega até você por acaso... tudo tem um propósito!
- autor desconhecido -
(Ilustração: Meg Ryan & Nicholas Cage as Maggie Rice & Seth - "City Of Angels")

Posso Ajudar?


Assim que abriu a igreja, o padre viu uma mulher entrar, sentar-se no banco da frente e colocar a cabeça entre as mãos. Duas horas depois, reparou que a mulher ainda estava ali, na mesma posição.

Preocupado, resolveu aproximar-se:

"Posso fazer algo para ajudar?", perguntou.

"Não, obrigada", respondeu ela. "Eu estava quase conseguindo toda ajuda que preciso, quando o senhor me interrompeu".

O jesuíta Anthony Mello comenta: "num mosteiro, não estava escrito 'Não fale'. Estava escrito: Fale apenas se puder melhorar o silêncio."

- COELHO, Paulo - Warrior Of The Light -

(Ilustração: O pranto de Nossa Senhora de la Salette)

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Decidindo O Destino Alheio

Malba Tahan conta a história de um homem que encontrou um anjo no deserto, e lhe deu água. "Sou o anjo da morte e vim buscá-lo", disse o anjo. "Mas como você foi bom, vou lhe emprestar o Livro do Destino por cinco minutos; você pode alterar o que quiser".

O anjo entregou o livro. Ao folhear suas páginas, o homem foi lendo a vida dos seus vizinhos. Ficou descontente: “estas pessoas não merecem coisas tão boas", pen sou. De caneta em punho, começou piorar a vida de cada um.

Finalmente, chegou na página de seu destino. Viu seu final trági co, mas quando preparava-se para mudá-lo, o livro sumiu. Já se tinham passado cinco minutos.

E o anjo, ali mesmo, levou a alma do homem.

- COELHO, Paulo – “Warrior Of The Light”

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Às vezes construímos sonhos em cima de grandes pessoas...

O tempo passa... e descobrimos que grandes mesmo eram os sonhos

e as pessoas pequenas demais para torná-los reais!

- Bob Marley -

Dizem que tudo o que buscamos, também nos busca e,

se ficamos quietos, o que buscamos nos encontrará.

É algo que leva muito tempo esperando por nós.

Enquanto não chegue, nada faças. Descansa.

Já tu verás o que acontece enquanto isto.

...

Desejo que hoje experimentes paz dentro de ti,

que confies que te encontras exatamente onde deves estar,

que não te esqueças das possibilidades infinitas

que nascem da confiança em ti mesma e em outras/outros,

que utilizes os dons que recebeste,

e que transmitas a outras/outros o amor que te foi dado.

Desejo que estejas feliz contigo mesma pelo que és.

Deixa esta sabedoria assentar-se em teus ossos

e deixa que tua alma cante, baile e ame livremente.

Está ai para cada uma de nós.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Marisa Monte - Mais Uma Vez

Mais uma vez eu vou te deixar

Mas eu volto logo pra te ver

Vou com saudades no meu coração

Mando notícias de algum lugar...

Eu sei, que muitas vezes te fiz esperar demais

Mas mesmo na distância o meu pensamento voa longe demais

Fico imaginando você sofrendo na solidão

Quando eu vou deitar penso em você em seu quarto dormindo

Longe de você meu bem, longe da alegria

Longe de você meu bem, longe do nosso lar...

domingo, 12 de setembro de 2010

Onde Está Direcionado O Seu Olhar?

Quando estiver em dificuldade e pensar em desistir

Lembre-se dos obstáculos que já superou. Olhe para trás!

Se tropeçar e cair, levante, não fique parado

Esqueça o passado. Olhe para frente!

Ao sentir-se orgulhoso por alguma realização pessoal

Pesquise suas motivações. Olhe para dentro!

Antes que o egoísmo o domine. Enquanto seu coração é sensível

Ajude aos que te cercam. Olhe para os lados!

Na escalada rumo às altas posições, na ânsia de concretizar seus sonhos

Observe se não está pisando em alguém. Olhe para baixo!

Em todos os momentos da vida, seja qual for sua atividade

Busque a aprovação de Deus. Olhe para cima!

- autor desconhecido -

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Solidão

Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo...

Isto é carência.

Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar...

Isto é saudade.

Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes, para realinhar os pensamentos...

Isto é equilíbrio.

Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente para que revejamos a nossa vida...

Isto é um princípio da natureza.

Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado...

Isto é circunstância.

Solidão é muito mais do que isto.

Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma...

- Francisco Buarque de Holanda -

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

A Gaivota E O Rato

A gaivota voava por cima de uma praia no Mar Negro, quando viu um rato. Desceu dos céus, e perguntou ao roedor:

- Onde estão suas asas?

Cada bicho fala um idioma, e o rato não entendeu o que ela dizia; mas notou que o animal a sua frente tinha duas coisas estranhas e grandes saindo de seu corpo.

"Deve sofrer alguma doença", pensou o rato.

A gaivota percebeu que o rato olhava fixamente suas asas:

- Pobrezinho. Foi atacado por monstros, que lhe deixaram surdo e roubaram as asas.

Compadecida, pegou-o em seu bico, e levou-o para passear nas alturas. "Pelo menos ele mata a saudade", pensava, enquanto voavam. Depois, com todo cuidado, deixou-o no chão.

O rato, durante alguns meses, tornou-se uma criatura profunda mente infeliz: tinha conhecido as alturas, viu um mundo vasto e belo.

Mas, com o passar do tempo, terminou de novo acostumando-se a ser rato, e achou que o milagre que tinha acontecido em sua vida não passava de um sonho.

(FONTE: COELHO, Paulo - “Warrior of The Light”)

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Quantas Vidas Você Tem - Paulinho Moska

Meu amor
Vamos falar sobre o passado depois
Porque o futuro está esperando
Por nós dois.

Por favor
Deixe meu último pedido pra trás
E não volte pra ele nunca
Nunca mais.

Porque ao longo desses meses
Que eu estive sem você
Eu fiz de tudo pra tentar te esquecer

Eu já matei você mil vezes
E seu amor ainda me vem
Então me diga quantas vidas você tem.

(Ilustração: Vivien Leigh & Clark Gable as Scarlett O’Hara & Rhett Butler – “Gone With The Wind”)

Vai - Ana Carolina

Espera aí,

Nem vem com essa história

Eu nem quero ouvir

Não dá pra te esquecer agora

Como assim?

Você disse que me amava tanto ontem

Eu juro que ouvi

Calma aí!

Que diabo você tá dizendo agora?

Que onda é essa de outro lance pra viver?

Você nem pode tá falando sério

Vivi pra você

Morri pra você

Pois então vai

A porta esteve aberta o tempo todo, sai

O que está esperando?

Você sabe voar

Então tá bom

É, senta e conta logo tudo devagar

Não minta, não me faça suportar

Você caindo nesse abismo enorme

Tão fora de mim

Tá legal

É, e eu faço o quê com a nossa vida genial?

Cê vai viver pra outra vida

E eu fico aqui

Na vida que ficou em minha vida

Tão perto de mim

Tão longe de mim

Pois então vai, a porta esteve aberta o tempo todo

Sai! Quem tá lhe segurando?

Você sabe voar

Mas se quiser, vai

A porta na verdade nem existe, sai

O que está esperando?

Você sabe voar

De volta pra mim

De volta pra mim...

domingo, 15 de agosto de 2010

Experiência

Já fiz cosquinha na minha irmã só pra ela parar de chorar.

Já me queimei brincando com vela.

Eu já fiz bola de chiclete e melequei todo o rosto.

Já conversei com o espelho, e até já brinquei de ser bruxo.

Já quis ser astronauta, violonista, mágico, caçador e trapezista.

Já me escondi atrás da cortina e esqueci os pés pra fora.

Já passei trote por telefone.

Já tomei banho de chuva e acabei me viciando.

Já roubei beijo.

Já confundi sentimentos.

Peguei atalho errado e continuo andando pelo desconhecido.

Já raspei o fundo da panela de arroz carreteiro.

Já me cortei fazendo a barba apressado.

Já chorei ouvindo música no ônibus.

Já tentei esquecer algumas pessoas, mas descobri que essas são as mais difíceis de se esquecer.

Já subi escondido no telhado pra tentar pegar estrelas.

Já subi em árvore pra roubar fruta.

Já caí da escada.

Já fiz juras eternas.

Já escrevi no muro da escola.

Já chorei sentado no chão do banheiro.

Já fugi de casa pra sempre, e voltei no outro instante.

Já corri pra não deixar alguém chorando.

Já fiquei sozinho no meio de mil pessoas sentindo falta de uma só.

Já vi pôr-do-sol cor-de-rosa e alaranjado.

Já me joguei na piscina sem vontade de voltar.

Já bebi uísque até sentir dormentes os meus lábios.

Já olhei a cidade de cima e mesmo assim não encontrei meu lugar.

Já senti medo do escuro.

Já tremi de nervoso.

Já quase morri de amor, mas renasci novamente pra ver o sorriso de alguém especial.

Já acordei no meio da noite e fiquei com medo de levantar.

Já apostei em correr descalço na rua.

Já gritei de felicidade.

Já roubei rosas num enorme jardim.

Já me apaixonei e achei que era para sempre, mas sempre era um "para sempre" pela metade.

Já deitei na grama de madrugada e vi a Lua virar Sol.

Já chorei por ver amigos partindo, mas descobri que logo chegam novos, e a vida é mesmo um ir e vir sem razão.

Foram tantas coisas feitas, momentos fotografados pelas lentes da emoção, guardados num baú, chamado coração.

E agora um formulário me interroga, me encosta na parede e grita: "- Qual sua experiência?".

Essa pergunta ecoa no meu cérebro: "experiência...experiência..."

Será que ser "plantador de sorrisos" é uma boa experiência?

Não!!! Talvez eles não saibam ainda colher sonhos!"

Agora gostaria de indagar uma pequena coisa para quem formulou esta pergunta:

Experiência? Quem a tem, se a todo momento tudo se renova?

- Redação de um candidato em um processo seletivo de uma grande empresa brasileira -

sábado, 14 de agosto de 2010

Urge Overkill - Girl You'll Be A Woman Soon

Menina... Você será uma mulher... Logo

Eu te amo tanto não poderia dizer o quanto,

eu morreria por você menina, e tudo o que eles conseguem dizer, é:

"Ele não faz seu tipo"

Eles nunca se cansam de me criticar

Eu nunca saberei, quando chegar,

o que vou encontrar,

Não os deixem fazer a sua cabeça

Você não sabe...

Menina... Você será uma mulher... Logo

Por favor... Venha pegue minha mão.

Menina... Você será uma mulher... Logo

Logo... você precisará de um homem.

Eu fui incompreendido por toda a minha vida

Mas o que eles estão falando, me corta como uma faca

"O menino não é bom"

Bom eu finalmente encontrei o que estava procurando

Mas se eles tiverem chance, eles irão destruir certamente.

Com certeza destruiriam

Baby eu fiz tudo o que podia

Agora é com você...

Menina... Você será uma mulher... Logo

Por favor... Venha pegue minha mão.

Menina... Você será uma mulher... Logo

Logo... Precisará de um homem.

(Ilustração: Uma Thurman as Mia Wallace – “Pulp Fiction”)

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Sobre Um Velho Pinheiro...

Um dia, diante da velha árvore torta, um pinheiro todo vergado pelo tempo, o sábio da aldeia ofereceu a sua própria casa para aquele discípulo que “conseguisse ver o pinheiro na posição correta”.

Todos se aproximaram e ficaram pensando na possibilidade de ganhar a casa e o prestígio, mas como seria “enxergar o pinheiro na posição correta”? O mesmo era tão torto que a pessoa candidata ao prêmio teria que ser no mínimo contorcionista.

Ninguém ganhou o prêmio e o velho sábio explicou ao povo ansioso, que ver aquela árvore em sua posição correta era “vê-la como uma árvore torta”.

Só isso!

Nós temos em nós, esse jeito, essa mania de querer “consertar as coisas, as pessoas, e tudo mais” de acordo com a nossa visão pessoal. Quando olhamos para uma árvore torta é extremamente importante enxergá-la como árvore torta, sem querer endireitá-la, pois é assim que ela é. Se você tentar “endireitar” a velha árvore torta, ela vai rachar e morrer, por isso é fundamental aceitá-la como ela é.

Nos relacionamentos é comum um criar no outro expectativas próprias, esperar que o outro faça aquilo que ele “sonha” e não o que o outro pode oferecer. Sofremos antecipadamente por criarmos expectativas que não estão alcance dos outros.

Porque temos essa visão de “consertar” o que achamos errado.

Se tentássemos enxergar as coisas como elas realmente são, muito sofrimento seria poupado.

Os pais sofreriam menos com os seus filhos, pois conhecendo-os, não colocariam expectativas que são suas, na vida dos mesmos, gerando crianças doentes, frustradas, rebeldes e até vazias.

Tente, pelo menos tente, ver as pessoas como elas realmente são, pare de imaginar como elas deveriam ser, ou tentar consertá-las da maneira que você acha melhor. O torto pode ser a melhor forma de uma árvore crescer.

Não criei mais dificuldades no seu relacionamento, se vemos as coisas como elas são, muitos dos nossos problemas deixam de existir, sem mágoas, sem brigas, sem ressentimentos.

E para terminar, olhe para você mesmo com os “olhos de ver” e enxergue as possibilidades, as coisas que você ainda pode fazer e não fez. Pode ser que a sua árvore seja torta aos olhos das outras pessoas, mas pode ser a mais frutífera, a mais bonita, a mais perfumada da região, e isso, não depende de mais ninguém para acontecer, depende só de você.

Pense nisso!

- Paulo Roberto Gaefke –

(Ilustração: Araucaria angustifolia)