sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

SEM HIPOCRISIA - O Que Se Passa Na Mente De Quem Se Diz Do Bem...

Ignoro a intolerância

Não tolero a ignorância

O medo , a subserviência

A silenciosa violência

Meu ódio não me permite paz

E me torno tão ignorante a ponto de próprio não suportar-me

Miseráveis conceitos de certo e errado

Se esquecidos , reportam-me rapidamente como humilhado

Orgulho de quem se combate

E erra em combater quem erra

Sou um poço de erros que não tolera

E me enfurece a anarquia que cometem a si próprios

E me pego a pensar pq se tornam tão impróprios

Já que nas palavras são tão senhores de seus destinos

Caem prostrados diante dos desatinos

Buscam braços , sangue e força para subir

Agarrados no limo de suas temeridades

Perdem o equilibrio e caem novamente quando vêem a tempestade

Não tolero medo pequeno

Medo do sereno

O gostar ameno

Admiro a dor de querer

Ignoro quem se ajoelha pra morrer

Não me corre nas veias , sangue de compaixão

Salta-me aos olhos o morrer de paixão

Mostrar as garras a um sombrio futuro

Sangrar-se perante o obscuro

Sagrar-se luz perante o escuro

O homem não perde tudo na sua guerra

Mas quando nas batalhas dobra os joelhos

Pede clemência e ajuda

Fica com a voz muda

Como se a justiça fosse feita

Cortam-lhe as mãos

E diante do medo ... aceita

Um homem não tolera quando lhe ditam

Não emudece quando lhe gritam

Não silencia diante do gigante

Faz pra si , seu próprio signo

Morre sem nenhum resquício de paz

Nenhum indicio incapaz

Mas morre digno !

Não tolero a indignidade

A pena pelo fraco

A liberdade apenas na fala

Amar aos poucos , em pequenos frascos

Odeio a aceitação da imperfeição moral

A mesquinhez de se olhar menor

Deixa-me indignado a frustração

Decepciona-me quem prefere arrastar-se pelo pior

Se assim pudesse pisar , pisaria

Esmagar , ver retorcer-se

A um pobre soldado amedrontado , não há gloria

E vence-lo , nem vejo honrosa vitória ...

Minha paz é minha alma em desespero

Meu sangue percorrendo o coração

Sou hipócrita em minhas palavras de consolo e amor

Não me sensibilizo com sua dor

E minto ao lhe dar perdão ...

- Fabricio Marchi -

(Ilustração: SUVÉE, Joseph-Benoit - "Combat de Minerve contre Mars")

Um comentário:

Dani disse...

FANTÁTICO Lordinhoooo!!